quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Liturgia da noite de natal



Texto enviado por Pe. Marcelino Sikinski


Anoitece. Dia 24 de dezembro. As famílias preparam a ceia de natal. Nas capelas e igrejas prepara-se o espaço celebrativo e as equipes de liturgia revisam e interiorizam as celebrações organizadas há mais tempo. É uma noite de festa e alegria que tem seu cume na celebração da comunidade.

Aparecem as primeiras estrelas no céu. Anunciam festa e escondem em sua tênue luz, mistérios guardados por milênios, recordados no livro do Êxodo: Hoje, sabereis que o Senhor vem e nos salva. Amanhã vereis a sua glória (Ex 16,6-7).

Desce a noite e a comunidade reunida no Senhor, inicia o canto “Noite Feliz”. Quem preside a celebração diz: Ó Deus que fizeste resplandecer essa noite com a claridade da verdadeira luz, concedei que, tendo vislumbrado na terra esse mistério, possamos gozar no céu sua plenitude.

Que mistério é esse portador de tanta alegria? Leão Magno responde: Hoje, amados filhos, nasceu o nosso Salvador. Alegremo-nos! Não pode haver tristeza no dia em que nasceu a vida que, dissipando o temor da morte, enche-nos de alegria com a promessa da eternidade.

O coração dessa alegria é: um filho nos foi dado (cf. Is 9,6), a bondade de Deus se manifestou (cf. Tt 3,4), Deus nos falou por seu Filho (Hb 1,2). “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que será também de todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós o Salvador, que é o Cristo Senhor (Lc 2,10-11).

Um filho nos dado. Manifestação carinhosa do amor de Deus. Cristo nos foi dado pelo Pai, no Espírito Santo, como Salvador e Reconciliador. Em Jesus, o Pai nos deu tudo: Deu-nos o seu Filho. Deus é amor. Jesus é o Emanuel, o Deus conosco. Por ele, com ele e nele retornamos ao Pai.

No prefácio da missa cantamos: No mistério da encarnação de vosso Filho, nova luz da vossa glória brilhou para nós. E reconhecendo a Jesus como Deus invisível a nossos olhos, aprendemos a amar nele a divindade que não vemos. E na oração eucarística proclamamos: em comunhão com toda a Igreja celebramos a noite santa em que a Virgem Maria deu ao mundo o Salvador.

Na oração após a comunhão, rezamos: Senhor nosso Deus, ao celebrarmos com alegria o Natal do nosso Salvador, dai-nos alcançar por uma vida santa seu eterno convívio.

Na noite de Natal, o momento mais importante e significativo é a celebração da eucaristia com a comunidade: na escuta da Palavra de Deus, na ação de graças e na partilha do pão e vinho eucarísticos.

O momento celebrativo na comunidade prolonga-se na ceia de natal da família. A troca de presentes lembra o presente de Deus na pessoa de seu Filho. O Filho que nos foi dado. Recorda a solidariedade de Jesus com a humanidade e o seu ensinamento de que todos os bens só têm sentido quando partilhados. Natal: Deus nos ama. Somos chamados a experimentar a sua bondade e a sua ternura.
Postar um comentário